Aulas #2

A meio da décima semana de aulas acho que é um bom momento para vos actualizar sobre as mesmas.

Quando vos contei como eram as minhas aulas, mencionei que a duração de cada uma era de 3h15, ora isto, que já me pareceu estranho ao início, revelou-se (como eu esperava) um erro completo. Bem me dizia a minha mãe que era completamente anti-pedagógico!

Ora o que se passa é o seguinte: é impossível alguém estar 200 minutos atenta, mesmo que tenha pequenos intervalos no meio e o assunto e orador sejam extremamente interessantes.

As aulas, uma por uma, são assim:

Interface Design and Aesthetics

O professor é um bom comunicador. As aulas são interessantes desse ponto de vista e sabe interagir com os alunos, escutando as suas opiniões, considerando-as válidas. A biografia que recomenda também se revela, na sua maioria, útil e interessante.

E o que é bom acaba aqui.

Lembram-se de dizer que era parecida com Ergonomia de Sistemas? Pois, ainda não me foram transmitidos quaisquer conhecimentos novos, que não tenham sido abordados ora em Erg. Sistemas ora em ICPM.

Hoje, por exemplo, a aula debruçou-se sobre as heurísticas de Nielsen e testes de usabilidade (numa abordagem francamente muito mais fraca que a que nos foi dada em ICPM).

Security

Não falei muito dela no último post, mas estava à espera, como vos disse, de aprender a prevenir e resolver problemas de segurança nos meus sistemas.

A rotina de praticamente todas as aulas é a seguinte: o professor (de quem eu não gosto muito) fala, explica alguma coisa, mas fica sempre pela rama, nunca é nada aprofundado; é-nos dado um nome de um software para instalarmos e simplesmente utilizá-lo para fazer alguma coisa.

Num exemplo mais concreto: o professor fala de passwords; dá-nos um nome de um software que rouba passwords; instalamos, carregamos em “run” e ele rouba a password.

Conclusão: aprender zero, a não ser que vocês considerem que aprendo a instalar e executar programas que aparecem como primeiro resultado numa curta busca no google.

Advanced Media Tecnologies

Nesta disciplina, as primeiras seis aulas foram dadas por um professor que usa livros comerciais como manuais do secundário. Passo a explicar, ele deu-nos este livro e como bibliografia recomendada e cada uma das aulas foi um ou dois capítulos do mesmo.

Pensam que isto é mau? Esperam até ter vindo o professor seguinte, supostamente para nos dar a parte prática da disciplina: Adobe Premiere, Adobe SoundBooth e Adobe After Effects.

Este professor tem uma qualquer atracção estranha pelo quadro interactivo que existe numa sala, pelo que todos os dias temos de deslocar-nos para lá para simplesmente o ver-mos a brincar com os seus vídeos pessoais que têm como personagens a sua mulher ou filha e o seu cavalo!

Não há qualquer tutorial para seguir-mos, não há qualquer tarefa para cumprirmos. Estamos sentados a olhar para um homem a mexer num programa e a falar sozinho, sem explicar coisa nenhuma. Tendo dito, já por duas vezes, algo deste género depois de terminada a “explicação”: “façam qualquer coisa para depois mostrarem”!

Eu quando escolhi fazer erasmus não queria férias, queria aprender!

Escolhi a Dinamarca, que se diz com um dos mais avançados e melhores sistemas de ensino na Europa e aquilo com que me deparo é o cenário que descrevi acima.

Estou muito, muito, desapontada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *